Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Nesta segunda-feira (29/10), o Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), localizado na cidade de São José dos Campos (SP), realizou uma cerimônia militar em comemoração ao Dia da Engenharia da Aeronáutica - celebrado em 28 de outubro.

Presidida pelo Comandante-Geral de Apoio da Aeronáutica (COMGAP), Tenente-Brigadeiro do Ar Paulo João Cury, a solenidade contou também com a presença do engenheiro mais antigo da Força Aérea Brasileira (FAB), o Major-Brigadeiro Engenheiro Fernando Cesar Pereira Santos, Presidente da Comissão de Implantação do Sistema de Controle do Espaço Aéreo (CISCEA).

A ordem do dia, assinada pelo Major-Brigadeiro Fernando, destacou a importância do profissional de engenharia nas mais diversas áreas da Força Aérea, lembrando que se trata de um trabalho árduo, mas fundamental para o futuro da FAB. “Que, inspirados no legado deixado pelo nosso patrono e mais ilustre engenheiro, ousemos fazer mais e melhor, acreditando em nosso potencial a despeito de qualquer ceticismo, atuando de forma integrada e relevante, em prol de uma Força moderna, eficiente e respeitável”, disse ele.
O Patrono da Engenharia da Aeronáutica é o Marechal do Ar Casimiro Montenegro Filho, idealizador do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e do então Centro Técnico de Aeronáutica (CTA).

Estátua de Ozires Silva é inaugurada no campus do DCTA

Outro evento que marcou o Dia da Engenharia da Aeronáutica no DCTA foi a inauguração de uma estátua em homenagem a Ozires Silva, Tenente-Coronel Reformado da FAB, um dos fundadores da Embraer e um dos responsáveis pelo projeto do avião Bandeirante - que completou, no último dia 22, seu cinquentenário. A iniciativa foi do Centro Acadêmico Santos-Dumont (CASD), projeto social mantido há mais de vinte anos pelos alunos do ITA, que oferece cursos pré-vestibulares gratuitos a estudantes de baixa renda. O homenageado, que estava acompanhado pelo Comandante-Geral de Apoio da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro Cury; pelo Diretor-Geral interino do DCTA, Major-Brigadeiro do Ar Hudson Costa Potiguara; e pelo Reitor do ITA, Professor Anderson Ribeiro Correia, destacou a importância da educação para transformar vidas e nações. "O Brasil é grande demais para pensarmos pequeno", disse Ozires.

Tenente-Brigadeiro Paulo Victor também recebeu homenagem

A rua que passa em frente ao novo prédio da Divisão de Ciências Fundamentais do ITA, no campus do DCTA, foi batizada com o nome do Tenente-Brigadeiro do Ar Paulo Victor da Silva. O oficial-general, que faleceu em 2009, foi diretor do então CTA, na época de criação do avião Bandeirante.

 

Publicado em: 30/10/2018

Fonte: DCTA, por Tenente Larissa - IAE, por Tenente Isabele/ Fotos: Sargento Petherson

Edição: Agência Força Aérea, por Tenente Gabrielli - Revisão: Major Alle

Na última sexta-feira (26), foi realizada, em São José dos Campos (SP), a cerimônia alusiva aos cinquenta anos do primeiro voo do Bandeirante. O evento, que reuniu a Embraer e a Força Aérea Brasileira (FAB), foi presidido pelo Ministro de Estado da Defesa, Joaquim Silva e Luna, e contou com a presença de diversas autoridades.

“A partir de um estudo desenvolvido pelos engenheiros do Centro Técnico de Aeronáutica, o Bandeirante abriu as portas para a aviação brasileira. Esse é o resultado de que é possível tornar o sonho em realidade, mesmo com as turbulências que ocorrem no caminho. Parabéns aos Bandeirantes do Bandeirante!”, destacou o ministro.

O primeiro voo da aeronave aconteceu no dia 22 de outubro de 1968 e, durante a solenidade, o momento histórico foi recriado. O Bandeirante saiu do hangar X-10 e decolou. Acompanhado da Esquadrilha da Fumaça (EDA), o avião refez o voo que deu início à indústria aeronáutica no Brasil. O Comandante da FAB, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, ressaltou os idealizadores que alavancaram a aeronáutica no país. “Reviver essa história nos completa com admiração e esperança na genialidade de Alberto Santos-Dumont, Casimiro Montenegro Filho e de muitos outros brasileiros que construíram a aeronáutica no país. Hoje podemos constatar um futuro promissor para a FAB. A certificação recente do KC-390, que é o resultado de várias aeronaves que sucederam o Bandeirante”, disse.

A criação e o desenvolvimento da aeronave não só impulsionaram a engenharia aeronáutica no Brasil, mas trouxeram também inovação e tecnologia, com a origem da Embraer. “Para nós da Embraer, o Bandeirante não é apenas uma aeronave. Ele representa um Brasil que não acredita em limitações, que é aguerrido e capaz de unir a competência, o talento, a ousadia e assim fazer a transformação ao futuro”, enfatizou o Diretor-Presidente da Embraer Paulo Cezar de Souza e Silva.

O modelo da aeronave que refez o voo foi especialmente preparado pela FAB e pela Embraer nas mesmas cores do primeiro protótipo. Após o pouso, foi realizado o batismo do Bandeirante, uma das tradições da aviação. O Tenente-Coronel reformando Ozires Silva, um dos engenheiros que participou do desenvolvimento da aeronave, criador e primeiro presidente da Embraer, agradeceu a todos os envolvidos no projeto. “Estou muito emocionado e agradeço à FAB pelo apoio integral em todos os momentos que precisamos”, completou.

Programa especial sobre os 50 anos do Bandeirante

A edição especial do FAB TV relembra o início de uma história que começou em 1968. Há cinquenta anos, o Bandeirante alçava seu primeiro voo e impulsionava a indústria aeronáutica brasileira.

O programa traz depoimentos de engenheiros e pilotos da FAB e da EMBRAER, que fazem parte da história do desenvolvimento do projeto que, ao completar 50 anos, continua sendo um importante vetor para a Força Aérea Brasileira. Clique aqui e confira.

Clique aqui e confira como foi a cerimônia.

 

Fonte: Agência Força Aérea - Fotos: Sargento Johnson Barros

Publicado em: 29/10/2018

Voos de diversos aviões, exposição estática de aeronaves, apresentações artísticas e da Esquadrilha da Fumaça. Estas foram algumas das atrações que cerca de 50 mil pessoas de São José dos Campos e a região do Vale do Paraíba puderam conferir nos Portões Abertos do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), que aconteceu no último sábado, dia 20.

O Portões Abertos é um evento de caráter cívico-social que tem como propósito abrir por um dia as portas da FAB à população, possibilitando uma maior aproximação entre a instituição e a sociedade. “O evento dá a oportunidade de mostrar para a comunidade todo o profissionalismo da Força Aérea Brasileira, o trabalho que temos feito ao longo dos anos”, afirma o Brigadeiro do Ar José Aguinaldo de Moura, Chefe do Subdepartamento de Administração do DCTA.

Quem veio também pôde conversar com os militares, saber mais sobre as formas de ingresso na FAB, conhecer um pouco sobre as Organização Militares que compõem a estrutura do DCTA e ainda interagir com membros da Polícia Militar e do Exército Brasileiro que participaram conosco do evento. Além disso, ao longo dia do ocorreram diversas atrações simultâneas, como demonstração dos cães de guerra do Esquadrão de Segurança e Defesa, lançamento de paraquedistas e encenação do grupo da 2ª Guerra.

Um dos momentos mais esperados do dia, foi o show da Esquadrilha da Fumaça. Criada em 1952, a Fumaça é composta por 13 pilotos que operam as aeronaves A-29 Super Tucano. Durante a apresentação em São José dos Campos, 7 pilotos encantaram crianças e adultos com suas acrobacias de alta performance, manobras arrojadas e algumas exclusivas que se diferenciam das demais esquadrilhas do mundo, como o voo invertido em formação, sua especialidade. A demonstração deixou a fisioterapeuta Flaviana Mafra impressionada. “É de arrepiar e muito impressionante o que eles fazem no céu, a gente fica olhando e admirando”, afirma.

Durante o evento foram arrecadadas 1 tonelada e meia de alimento e mais de 500 livros. Cada doação feira correspondeu a um cupom para participar do sorteio. “O evento proporciona ao público visitante uma oportunidade de ser solidário. A ação social reflete o espírito de ajudar o próximo e nós, como militares e cidadãos, nos sentimos parte desse processo”, destaca a Tenente Assistente Social Bruna Silva.

Fonte: Por Ten Larissa, DCTA

Fotos: DCTA - Brazilian Spotters

Publicado em: 24/10/2018

Leia mais...

O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) recebeu nesta semana de 17 a 21/09 a segunda edição da reunião do Grupo de Interfaces de Lançamento (GIL 2/ 2018). O GIL reúne especialistas da área espacial de diferentes organizações que compõem o Sistema Nacional de Desenvolvimento das Atividades Espaciais (SINDAE). Nesta segunda edição de 2018 participaram representantes do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), do Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI), do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI) e do próprio CLA.

Ainda durante a semana foi realizada a Reunião de Acompanhamento de Interfaces (RAI) visando a realização da Operação Mutiti, próxima operação externa a ser realizada no CLA com o lançamento de um foguete VS-30 transportando experimentos científicos e tecnológicos de centros e institutos de pesquisa nacionais.

Na GIL 2/ 2018 foram atualizadas a situação de projetos na área de espaço, tais como a Operação Mutiti, Veículos Lançadores de Satélites e projetos relacionados (VS-50, VLM-1 e VL-X), o Programa Microgravidade,  o novo Sistema de Terminação de Voo a ser instalado no CLA, os Foguetes de Treinamento e o HEXAFLY (veículo espacial hipersônico). Também foi traçado um panorama atual do Programa de Lançamentos do DCTA para este ano de 2018, o Programa de Futuros Lançamentos (2019-2020), mercado de Foguetes Suborbitais, situação dos Centros de Lançamento (CLA e CLBI), das obras no CLA com impacto em lançamentos futuros, das tratativas sobre a comercialização de lançamentos a partir do CLA. O Chefe do Subdepartamento Técnico do DCTA, Brigadeiro Engenheiro César Demétrio Santos destacou a importância do encontro. “Em um momento em que a área espacial ganha cada vez mais evidência no país, é essencial estarmos reunidos para estabelecermos estratégias e metas futuras”, explicou o Brigadeiro Demétrio.

No GIL ainda foi proposta a atualização da Instrução do Comando da Aeronáutica (ICA) 60-1 que trata justamente sobre tal grupo, foram apresentados  os resultados do Grupo de Trabalho (GT) de normas balizadoras de processo de qualificação e certificação, além da discussão e acompanhamento de outros itens de ação, atualização e comentários sobre itens de ação datados e prioritários e foram elaboradas as conclusões e recomendações do GIL 2/ 2018. “A partir do GIL podemos trocar informações atualizadas sobre os principais projetos da área espacial em andamento, de forma a fazer um acompanhamento sistemático por parte de todos os envolvidos no setor”, destacou o Coronel Aviador Carlos Afonso Mesquista de Araujo, Presidente do GIL. Para o Diretor do CLA, Coronel Engenheiro Luciano Valentim Rechiuti é fundamental receber o GIL em Alcântara uma vez que a grande maioria do projetos na área espacial em desenvolvimento no Brasil invariavelmente passam por lançamentos a serem realizados em Alcântara.

O Grupo de Interfaces de Lançamento (GIL) se reúne duas vezes ao ano e é regulado pela ICA 60-1 “Grupo de Interfaces de Lançamento” que estabelece as diretrizes, participantes e objetivos a partir das reuniões realizadas, geralmente nos centros de lançamento de Alcântara, Maranhão ou da Barreira do Inferno, no Rio Grande do Norte. A última reunião do grupo ocorreu também no CLA no último mês de maio.

Fonte: CLA/DCTA, por Ten Huxley

Publicado em: 27/09/2018

Uma comitiva chefiada pelo Ministro de Estado da Defesa, Joaquim Silva e Luna, e pelo Comandante da Força Aérea Brasileira (FAB), Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, concluiu, nesta terça-feira (18), uma série de visitas a unidades e companhias que produzem tecnologia no campo do Poder Aeroespacial. O objetivo foi atualizar o Ministério da Defesa (MD) sobre o andamento dos projetos nessa esfera.

O grupo, formado ainda por oficiais-generais das três Forças Armadas, esteve no pátio industrial da Embraer, em Gavião Peixoto (SP), na indústria AVIBRAS e no complexo do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), esses dois últimos localizados em São José dos Campos (SP).

O Diretor-Geral do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial, Major-Brigadeiro do Ar Hudson Costa Potiguara, apresentou relatório com as principais soluções científico-tecnológicas no campo do Poder Aeroespacial. Hoje, a Organização Militar (OM) desenvolve 114 projetos, em 159 laboratórios, com a finalidade de manutenção da soberania do espaço aéreo e a integração nacional.

Quase metade das iniciativas é forjada nos laboratórios do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), onde, por exemplo, foi demonstrada a capacidade dos espaços de guerra eletrônica, parte do Programa de Pós-Graduação em Aplicações Operacionais, que especializa militares no campo da defesa. O grupo de autoridades também conheceu o laboratório do ITASAT, onde avança projetos e desenvolvimento de sistemas espaciais, como, por exemplo, o Carponis-1, primeiro satélite brasileiro de sensoriamento remoto de alta resolução espacial.

No Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), onde há 48 laboratórios, a comitiva foi informada sobre a evolução do projeto VS-50, veículo suborbital para ensaios de microgravidade e para experimentos hipersônicos, desenvolvido em parceria com a Alemanha.

No mesmo espaço, foi explanada uma das maiores iniciativas do Instituto de Estudos Avançados (IEAV), o 14-X. Trata-se de um planador hipersônico integrado a um motor que permitirá acesso facilitado ao espaço. Conforme as perspectivas do IEAV, as demonstrações em voo devem ocorrer até 2022.

A série de visitas à área funcional do DCTA foi encerrada no Instituto de Pesquisas e Ensaios em Voo (IPEV). Pilotos da unidade demonstraram a utilização do simulador, que permite, de forma segura e realista, a percepção do comportamento de aeronaves com diversas características de estabilidade e controle.

Investimentos

Segundo o Comandante da FAB, a ida ao DCTA comprovou, por meio dos diversos institutos, a elevada estrutura tecnológica da OM. "Entendo que, com essa capacidade e com as cabeças que nós temos, só nos falta um pouco mais de recursos para que todos os projetos se tornem realidade", frisou.  

O Ministro da Defesa reforçou a necessidade de ampliar os investimentos. "Vejo aqui um grande desafio, mas vejo também uma grande esperança. O setor aeroespacial necessita de pesquisa, desenvolvimento e projetos. O que vimos aqui são pesquisas voltadas para aplicação, são projetos ousados e que não nos deixa devendo a nenhum país do mundo. O Ministério da Defesa precisa reforçar a importância dos recursos direcionados a esses projetos. Precisamos convencer as autoridades para que coloquem recursos e que se invista cada vez mais em pesquisas. Há uma competição com o tempo, a tecnologia acaba sendo superada", concluiu.  

Assista ao vídeo sobre a série de visitas às unidades e companhias que produzem tecnologia no campo do Poder Aeroespacial.

 

Fonte: Agência Força Aérea, por Tenente Jonathan Jayme
Fotos: Sargento Brunto Batista/CECOMSAER

O Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial sediou no período de 11 a 13 de setembro a II Reunião do Grupo de trabalho Bilateral sobre Cooperação Industrial para a Defesa (GTBCID) Brasil – Espanha, que tem como objetivo fomentar a colaboração entre o Ministério da Defesa do Brasil e o Ministério da Defesa da Espanha, bem como entre as forças armadas de ambos os países. O evento é coordenado pelo Departamento de Defesa do MD.

A delegação espanhola é liderada pelo General de Brigada Luis Manuel López Gonzalez – Diretor-Geral de Armamento e Material do Ministério da Defesa da Espanha, além de militares e empresários.

O GTBCID conta, ainda, com a participação de representantes da ABIMDE – Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança e do Departamento de Sistemas de Propulsão do Centro de Desenvolvimento de Submarinos da Marinha do Brasil.

O evento teve início com um briefing institucional do DCTA, proferido pelo Cel Av Manoel Antônio de La Sagra Fagundes Perez, Chefe da Coordenadoria de Gestão por Processo, que ressaltou que o Grupo de Trabalho “é uma excelente oportunidade de divulgarmos nosso alto nível de qualificação de pessoal, dos laboratórios instalados e da tecnologia desenvolvida na área aeroespacial.”

Para o Brigadeiro Engenheiro César Demétrio Santos, Chefe do Subdepartamento Técnico do DCTA, que fez a abertura do evento, esse Grupo de Trabalho “é uma oportunidade de um estreitamento entre a Espanha e o Brasil no desenvolvimento conjunto de novos sistemas e tecnologias, por meio da participação das indústrias espanholas e brasileiras, que permita maior capacidade de dissuasão, bem como benefícios para a Sociedade.”

Fonte: ACS/DCTA

Publicado em: 17/09/2018

Fim do conteúdo da página