Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Notícias
Início do conteúdo da página

O Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial promoveu, em 2 de outubro de 2019, um encontro com oficiais da reserva residentes na região do Vale do Paraíba. O objetivo do evento foi participar aos antigos militares do Campus as principais atividades desempenhadas pelo DCTA na atualidade.

 

O encontro teve início no Centro de Competência em Manufatura (CCM), laboratório do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) especializado em todas as etapas do ciclo de vida de um produto, realizando pesquisas voltadas para o desenvolvimento industrial e fomentando a inovação na área de manufatura.

 

 

No CCM, os convidados assistiram a uma apresentação institucional procedida pelo Diretor-Geral do DCTA, Tenente-Brigadeiro do Ar Luiz Fernando de Aguiar, que enfatizou a importância do trabalho desempenhado por todos os militares que o precederam para que o DCTA fosse reconhecido como instituição de vanguarda na área de ciência e tecnologia aeroespacial.

 

Ao falar sobre as atividades em curso nos diversos institutos do Campus, ressaltou o processo de aquisição, desenvolvimento, certificação e produção dos caças GRIPEN E/F, adquiridos da empresa sueca SAAB. Nesse sentido, lembrou da recente apresentação do primeiro exemplar da aeronave em Linköping (Suécia), em 10 de setembro de 2019.

 

Outro tema abordado foi o da aeronave multimissão KC-390, maior aeronave já desenvolvida pela EMBRAER. O Diretor-Geral ressaltou as recentes campanhas de ensaio executadas com a participação de militares do DCTA, além da entrega do primeiro avião à Ala 2 (Anápolis – GO), em 4 de setembro.

 


O Diretor-Geral do DCTA falou ainda sobre o projeto do míssil A-Darter, que encerrou seu ciclo de desenvolvimento recentemente, e do Programa Estratégico de Sistemas Espaciais (PESE), que tem por objetivo fornecer ao País serviços de observação terrestre, telecomunicações, mapeamento de informações, posicionamento, monitoramento do espaço e um centro de operação de sistemas espaciais.

 

Após a apresentação, os militares dirigiram-se ao refeitório, onde puderam ter contato com os atuais comandantes das organizações militares sediadas no Campus. Em seu discurso durante a apresentação, o Tenente-Brigadeiro Aguiar agradeceu a presença de todos e sua valiosa contribuição para o DCTA ao longo de sua história. “Sinto-me honrado em recebê-los no Campus, levar ao conhecimento dos senhores nossas atividades do momento e revê-los, como irmãos de farda que somos”, ressaltou o Diretor-Geral.

 

O mais antigo convidado presente foi o Major-Brigadeiro do Ar Antônio Hugo Pereira Chaves, falou sobre a iniciativa do DCTA de realizar o evento. “Agradeço ao DCTA, em particular ao Tenente-Brigadeiro Aguiar, pela gentileza de nos receber aqui e nos informar a respeito do que está acontecendo na Força Aérea Brasileira”, ressaltou o Oficial General.

 

 

Publicada em 04/10/2019

Fonte: DCTA, por Sgt Anderson

Fotos: GAP-SJ, por Sgt Herison

Sistema atende aos requisitos técnicos, operacionais, logísticos, industriais e de segurança

Foi realizada, nesta quinta-feira (26), em Brasília (DF), a cerimônia de entrega do Certificado de Tipo e Data Package do Projeto A-Darter, que teve por objetivo o desenvolvimento de um sistema de míssil de curto alcance ar-ar infravermelho de 5ª geração com transferência de tecnologia, certificação e industrialização no Brasil.

O Certificado é o reconhecimento oficial de que o sistema atende aos requisitos técnicos, operacionais, logísticos, industriais e de segurança emitidos tanto pela Força Aérea Brasileira quanto pela Força Aérea Sul-Africana, e simboliza o encerramento do ciclo de desenvolvimento do projeto.

O Data Package é a materialização do conhecimento produzido ao longo do ciclo de desenvolvimento do projeto A-Darter. Ele é composto por todos os documentos técnicos e gerenciais elaborados ao longo do desenvolvimento, programas computacionais e dados de ensaios em laboratório e em voo.

O Diretor-Geral do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), Tenente-Brigadeiro do Ar Luiz Fernando de Aguiar, que recebeu o Data Package da empresa Armaments Corporation of South Africa (ARMSCOR), falou sobre a importância do projeto. “Esta parceria com a África do Sul no Projeto A-Darter alcançou todos os objetivos. O míssil será um item importante incorporado ao Gripen brasileiro e permitirá a absorção de tecnologia desse artefato pelo Brasil”, disse.

O Oficial-General também destacou o trabalho da Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC) e do governo sul-africano. “Agradeço pela maneira profissional como o processo foi conduzido pela COPAC e, em nome da Força Aérea Brasileira, agradeço ao Ministério da Defesa da África do Sul por trabalhar conosco de maneira totalmente comprometida e irrestrita”, declarou.


Durante a cerimônia, o Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI), unidade da FAB subordinada ao DCTA, e o Directorate of System Integrity entregaram o Certificado de Tipo à empresa Denel Dynamics, demonstrando o êxito da cooperação tecnológica para o desenvolvimento do projeto.


Projeto

O projeto A-Darter teve início, oficialmente, em 16 de outubro de 2006, por meio da assinatura do contrato firmado entre a Força Aérea Brasileira e a Armaments Corporation of South Africa, tendo como executora a empresa Denel Dynamics.

Com o desenvolvimento desse sistema de armas, tanto a Força Aérea Brasileira quanto a Força Aérea Sul-Africana terão um aumento significativo em suas capacidades operacionais, ampliando o seu poder dissuasório e de combate.

O sistema A-Darter ar-ar possui as capacidades de identificar, de forma autônoma, um alvo após o lançamento (LOAL, do inglês Lock On After Launch); de contra-contramedidas eletrônicas (capaz de identificar e negar flares); e de identificação de alvo e lançamento com sucesso até uma posição relativa de 90 graus.

 

Publicada em 30/09/2019

Fonte: CECOMSAER, Por Tenente Emília Maria

Fotos: GAP-BR, Por Soldado Freitas Santos

No período de 25 a 27 de setembro, o CLBI promoverá o IX Fórum de Pesquisa e Inovação (FoPI).

Inserida no escopo da missão institucional do CLBI, a nona edição do Fórum tem o objetivo de promover a interação entre empresas, acadêmicos e instituições atuantes no segmento aeroespacial, a fim de abrir novas perspectivas para cooperação entre a comunidade de especialistas e de gestão, tanto pública quanto privada, fornecendo um ambiente interdisciplinar para pesquisadores, profissionais, professores e alunos apresentarem e discutirem as mais recentes inovações, tendências e preocupações na área, bem como desafios práticos encontrados e as soluções adotadas acerca do tema central “Novos Atores e Cenários em Operações Espaciais”, subdividido nos eixos temáticos Operações Espaciais, Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico Aeroespacial e Inovação Aeroespacial.

As Palestras Universais serão ministradas por profissionais da área do setor aeroespacial e, também, ocorrerão apresentações institucionais a respeito do tema central. As Palestras Setoriais serão ministradas por profissionais, professores e pesquisadores a respeito de um dos Eixos Temáticos.

As Sessões serão Técnicas, que corresponderão às apresentações orais dos melhores artigos submetidos e escolhidos proporcionalmente para atender cada Eixo Temático, e Sessões de Pôsteres, correspondendo aos demais artigos submetidos e selecionados para esta modalidade de apresentação. Ao final do evento, será realizada a Operação Barreira XXII, com o lançamento de um foguete de treinamento e visita às instalações operacionais do Centro.

 

 

Publicada em 18/09/2019

Fonte: por CLBI

Na última quinta-feira (12/09), militares da Seção de Combate de Cães de Guerra (SCG) do Grupamento de Segurança e Defesa de São José dos Campos (GSD-SJ) realizaram duas apresentações (Manhã e Tarde) para alunos da Escola Estadual Major Aviador José Mariotto Ferreira.

 


Os militares fizeram apresentações com o cão ION, especializado em detecção de entorpecentes e guarda e proteção, e a cadela IEDA, especializada em detecção de entorpecentes e armas, ambos demonstrando suas habilidades e funções operacionais.

A atividade teve como objetivo mostrar aos alunos o funcionamento do Canil do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) e as capacidades operativas dos cães.

 



Além de demonstrações de obediência, foram realizadas várias simulações de faro de entorpecentes na busca pessoal e em mochilas. Também foi realizado o emprego de cães de proteção em uma simulação de abordagem. Ao final, os alunos tiveram a oportunidade de acariciar os cães e conhecer de perto sua rotina de treinamento.

 



“A Seção de Cães de Guerra aproveitou a oportunidade para realização do trabalho de socialização e ambientação com os novos integrantes: 4 filhotes da raça Belga Malinos, de 7 meses de idade, de nome: LANA, LUNA, LESTER e LOTUS. Essa atividade é fundamental para construção de um cão estável e equilibrado, funcionando como diferencial no emprego operacional. Eles são verdadeiros soldados, companheiros, corajosos e não temem o perigo”, afirmou o encarregado da SCG, Sargento Silva.

 



“Vale informar que olfato do cão é muito melhor que o do ser humano, por conta do tamanho da membrana nasal e da quantidade de receptores olfativos. Um cão possui em média 220 milhões de receptores, enquanto que os seres humanos possuem apenas 5 milhões. Devido a esses fatores peculiares, os cães são utilizados na busca de entorpecentes, explosivos, pessoas e etc”, explicou a chefe da SCG, Tenente Cláudia Borges.

 

Publicada em 17/09/2019

Fonte: Por GSD-SJ

O lançamento fez parte da Operação Águia II/ 2019

O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) realizou na tarde de quarta-feira (25/09) o lançamento de um Foguete de Treinamento Intermediário (FTI) na Operação Águia II/ 2019. Além do treinamento operacional das equipes envolvidas e teste de equipamentos em solo associados às operações de lançamentos em Alcântara, a operação teve por objetivo dar andamento ao processo de verificação do novo sistema de terminação de voo, recentemente adquirido pelo Centro visando a realização da teledestruição remota de foguetes em situações previstas.

O lançamento ocorreu às 14h11 pelo horário de Brasília com o veículo atingindo 52 quilômetros de altitude máxima (apogeu). Em um total de cinco minutos e três segundos, o FTI percorreu 75 quilômetros de distância entre a plataforma de lançamento e o local de término do rastreio sobre a costa alcantarense.

“Nosso 487º lançamento de um veículo em Alcântara se mostrou importante para atestar o grau de maturidade da equipe envolvida e eficácia dos meios de solo. Especificamente nessa operação, testamos, pela terceira vez com sucesso, o novo sistema de terminação de voo do CLA, equipamento essencial para novos saltos evolutivos que o Centro vivenciará nos próximos anos”, explica o Diretor do CLA, Coronel Aviador Marco Antonio Carnevale Coelho.

Participaram da Operação Águia II/ 2019, a Marinha do Brasil realizando interdição marítima, o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) realizando interdição aérea, a Ala 9 por meio dos Esquadrões Tracajá (1º ETA), realizando transporte de pessoal, e Netuno (3º/7º GAV), responsável pela varredura de área marítima, a Ala 10 com o Esquadrão Falcão (1º/8º GAV), prestando apoio a eventual evacuação aeromédica,  além das equipes operacionais do CLA e de suporte logístico do Grupamento de Apoio de Alcântara (GAP-AK) e apoio médico do Esquadrão de Saúde de Alcântara (ES AK).

A atividade integra o projeto Foguete de Treinamento (FOGTREIN) desenvolvido pelo Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) com a indústria nacional e suporte da Agência Espacial Brasileira (AEB) que desde 2009 dota os centros de lançamentos nacionais de capacidade operacional por meio dos foguetes que compõem a família FOGTREIN, tanto o Foguete de Treinamento Intermediário (FTI) quanto o Foguete de Treinamento Básico (FTB).

Experimento educacional

A Operação Águia II/ 2019 também serviu de preparação para um experimento desenvolvido pela rede municipal de ensino de São José dos Campos (SP) sob a orientação de professores e voluntários de instituições de pesquisa e desenvolvimento e da indústria aeroespacial.

Batizado de Sistema de Aquisição de Dados de Navegação Joseense - versão A (SANJ-A), o mecanismo deverá ser capaz de monitorar a aceleração e giro em três eixos, bem como a temperatura ambiente, por meio de uma MPU-6050, acoplada a um Arduíno Nano, que fará a filtragem dos dados e os transmitirá da carga-útil do FTI via telemetria às estações de Telemedidas do CLA.

Nesse primeiro momento, duas professoras da rede municipal de São José dos Campos acompanham a execução da operação de lançamento e realizam testes com o experimento, a carga útil do FTI e a transmissão de sinal via temeletria para eventuais ajustes visando participação futura do equipamento em voo do veículo com a presença de professores e alunos integrantes do experimento na próxima Operação Águia a ser realizada pelo CLA no ano de 2020.

Publicada em 30/09/2019

Fonte: CLA / CECOMSAER

Fotos: CLA

O Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) apoiou, de 9 a 13 de setembro de 2019, a seleção masculina de ciclismo da FAB (Time Militar Brasil), que representará o Brasil nos 7º Jogos Mundiais Militares (JMM), que ocorrerão em Wuhan, China, em outubro deste ano.


Os Jogos Mundiais Militares são um evento multiesportivo, realizado a cada quatro anos, ocorrido pela primeira vez em 1995 em Roma. Atualmente, o Brasil é o quarto maior medalhista nesses jogos e o desempenho da equipe militar será fundamental para o êxito da equipe brasileira nos jogos Olímpicos do Japão em 2020.

 


“A escolha de São José dos Campos como base dos treinamentos da equipe de ciclismo está relacionada à ótima estrutura e à diversidade das estradas nos arredores da cidade, que fornece a possibilidade de exigir todos os tipos de estímulos físicos na preparação dos atletas, além da ótima infraestrutura disponibilizada pelo DCTA, como hotel de trânsito, refeitório e apoio de transporte”, afirmou a chefe da equipe de ciclismo da Comissão de Desportos da Aeronáutica, Tenente Renata Matosso Gavinho.


Ainda como preparação para os 7º JMM, o Time Militar Brasil participou, nesse domingo, da 5º Volta de Ubatuba, conquistando o 3º Lugar Geral com o Sargento Gabriel, consequência do excelente trabalho da equipe.

 


Apesar de parecer um esporte individual, no qual permaneça o princípio de que o primeiro competidor a cruzar a linha de chegada é o vencedor, o ciclismo é um esporte em equipe. Antes e durante a corrida, os ciclistas de cada equipe decidem entre si qual deles tem a melhor chance de vitória. Entre os fatores que influenciam na escolha dos competidores estão o relevo, o traçado, as características da prova e a possibilidade de chegada. O restante da equipe se dedicará a ajudar o líder escolhido, protegendo-o do vento e permitindo colocá-lo nas melhores condições possíveis para a vitória.

 


O Time Militar Brasil masculino de ciclismo é composto pelos atletas: Sargentos Prado, Adriano, Egídio, Gohr, Finkler, Gabriel, Maia, Gideoni, pelo fisioterapeuta, o Tenente Campbell, e pela Chefe de Equipe, a Tenente Gavinho.

 

Publicada em 17/09/2019

Fonte: CDA, por Tenente Gavinho

O Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) celebrou o dia da Independência do Brasil neste sábado (07), em São José dos Campos (SP), com um desfile cívico-militar promovido pela Prefeitura da cidade.

A comemoração teve início com o hasteamento do Pavilhão Nacional pelo Diretor-Geral do DCTA, Tenente-Brigadeiro do Ar Luiz Fernando de Aguiar, e das Bandeiras do Mercosul, do Estado de São Paulo e do Município de São José dos Campos. Estiveram presentes o Deputado Federal Eduardo Cury e o Prefeito de São José dos Campos, Felicio Ramuth.


A tropa da Guarnição de Aeronáutica de São José dos Campos (GUARNAE-SJ) foi composta por aproximadamente 550 militares, comandados pelo Coronel Engenheiro Osvaldo Moraes Braga Filho.

Além da banda de Música do DCTA, que abriu o desfile, a tropa foi composta pelo grupamento do Estado Maior, Guarda-Bandeira e Bandeiras Históricas, Estandartes das Organizações Militares subordinadas ao DCTA, Tropa Armada, Pelotão de cães de guerra, além dos alunos do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e do grupamento feminino do DCTA, evidenciando a crescente presença das mulheres nas fileiras da Força Aérea Brasileira (FAB).

 
Este ano, o encerramento do desfile ficou por conta dos alunos do Programa Forças no Esporte (PROFESP), o qual promove o desenvolvimento e a integração social de crianças e adolescentes, por meio de atividades esportivas, cívicas e educativas. O Programa é desenvolvido pelo Ministério da Defesa (MD) e conta com o apoio das Forças Armadas e parceria com os Ministérios da Cidadania e da Educação.
 

Publicada em 9 de setembro de 2019.

Texto: DCTA, por Tenente Larissa Santos

Fotos: Sargento Frutuoso

Fim do conteúdo da página