Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Notícias
Início do conteúdo da página

O Ministro de Estado da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC) – Astronauta Marcos Pontes, o Vice-Governador do Maranhão – Carlos Brandão Junior, Parlamentares do Maranhão e o Prefeito Municipal de Alcântara - Anderson Wilker de Abreu Araujo foram recepcionados pelo Diretor-Geral do DCTA, Tenente-Brigadeiro do Ar Luiz Fernando de Aguiar e pelo Diretor do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), Coronel Aviador Marco Antônio Carnevale Coelho.

O Diretor-Geral do DCTA deu as boas vindas à Comitiva em nome do Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez e ressaltou a importância do Programa Espacial Brasileiro e as perspectivas que virão para o país com a aprovação do Acordo de Salvaguarda Tecnológica, assinado com os Estados Unidos e que será debatido no Congresso Nacional.

A comitiva visitou a escola Caminho das Estrelas, o Centro de Controle e a Torre Móvel de integração.

Durante a visita, o MCTIC falou aos parlamentares que o CLA tem área e infraestrutura para lançamentos comerciais. Salientou que o Programa Espacial é um programa de nação e que a aprovação do acordo de salvaguarda proporcionará a operação comercial do Centro de Lançamento e que recursos importantes virão para incrementar a economia, não só local, como também nacional.

Publicado em: 22/04/2019

Fonte: DCTA

Fotos: CLA/DCTA

 

O Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) e unidades subordinadas são responsáveis pela maior parte dos projetos apresentados no estande da Força Aérea Brasileira (FAB) na 12ª Edição da LAAD Defence & Security (Feira Internacional de Defesa e Segurança), que ocorreu no período de 2 a 5 de abril, no Pavilhão de Exposições do Riocentro, no Rio de Janeiro (RJ).   

A feira ocorre a cada dois anos e reúne fabricantes e fornecedores de tecnologias, equipamentos e serviços para as Forças Armadas, forças auxiliares, além de gestores de segurança de grandes corporações, concessionárias de serviços e infraestrutura.

"Encontramos uma feira muito viva, muito atenta e muito focada no Programa Espacial Brasileiro [PEB], o que para nós foi uma grande satisfação”. A avaliação é do Diretor-Geral do DCTA, Tenente-Brigadeiro do Ar Luiz Fernando de Aguiar, que lidera os dois centros de lançamentos brasileiros e os institutos que pesquisam e desenvolvem tecnologias do segmento.

De acordo com o oficial-general, a área espacial ganha mais relevância depois da assinatura do Acordo de Salvaguardas Tecnológicas entre Brasil e Estados Unidos. O documento, que ainda tramitará no Congresso Brasileiro, é determinante para a exploração comercial do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) por empresas privadas estrangeiras. “Surpreendeu bastante o interesse, pelo momento especial que estamos com a total atenção ao Centro de Lançamento de Alcântara, após a assinatura do novo Acordo de Salvaguardas Tecnológicas com os Estados Unidos para podermos operar com diversas empresas na área de Alcântara”, afirmou.

Além de F-39 Gripen, KC-390 e PESE, são nove projetos expostos ao público do evento. Confira os detalhes de cada um:

MOTOR FOGUETE L75 - utiliza propelente líquido para estágios superiores de Veículos Lançadores de Satélites.

VEÍCULO LANÇADOR DE MICROSSATÉLITES (VLM – 1) - tem como foco o desenvolvimento de um foguete destinado ao lançamento de cargas úteis espaciais ou microssatélites.

PITER-N - tecnologia que visa à extração automática de informações a partir de grande quantidade de imagens e dados no menor tempo possível. O objetivo é o processamento de dados em tempo real.

INERCIAL A FIBRA ÓPTICA (IFO) - Tem por objetivo o desenvolvimento de uma Unidade de Medição Inercial (UMI) a Fibra Óptica (IFO) na FAB, como componente estratégico e de soberania nacional, com aplicação em sistemas bélicos.

ERISA-D - Idealizado a fim de estabelecer um sistema para prover conhecimento e meios de prevenção, mitigação, proteção e controle necessários para garantir segurança de uma operação e do efetivo de setores ou unidades operacionais da FAB que atuem em cenários sujeitos aos efeitos danosos de radiações ionizantes.

CALIBRAÇÃO DE SENSORES - Prevê a Calibração de Sensores Imageadores Orbitais e Aerotransportados para o Comando da Aeronáutica (COMAER), tendo em vista a implantação do Sistema Carponis, do Programa Estratégico de Sistemas Espaciais (PESE).

AMBIENTE DE SIMULAÇÃO AÉREA (ASA) - O objetivo é o desenvolvimento de um ambiente de simulação de cenário aeroespacial para identificar, descrever, modelar e avaliar capacidades operacionais e missões na Força Aérea.

TURBORREATOR DE 5000N (TR5000) - Um projeto de desenvolvimento de um turbojato nacional com empuxo nominal de 5000N que também visa ampliar a infraestrutura de ensaios de desenvolvimento de motores tipo turbina a gás do DCTA.

IFF MODO 4 NACIONAL (IFFM4BR) - Sistemas IFF (Identify Friend or Foe) identificam plataformas (aeronaves e embarcações) no combate, dando suporte às regras de engajamento para permitir o emprego seguro de mísseis além do alcance visual (BVR, do inglês Beyond Visual Range) e evitar o fratricídio. O projeto IFF Modo 4 Nacional visa desenvolver e qualificar os principais componentes do Sistema, dentre eles o criptocomputador nacional, dotado de algoritmos criptográficos de Estado. O intuito é capacitar a FAB para realizar classificação segura e autônoma de plataformas.

 

Fonte: Agência Força Aérea

Publicado em: 09/04/2019

Na última sexta-feira (15), foi realizada, em São José dos Campos (SP), uma cerimônia alusiva aos 50 anos de criação do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), Organização Militar voltada para o desenvolvimento aeroespacial no Brasil. A solenidade foi presidida pelo Ex-Ministro da Infraestrutura e Comunicações Ozires Silva e contou com a presença de diversas autoridades.

O Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, destacou a importância do DCTA para o Brasil. “A vertente tecnológica é a marca que eleva uma instituição. Não podemos deixar de destacar, neste cinquentenário, o pioneirismo do Marechal do Ar Casimiro Montenegro Filho, idealizador da criação de um complexo científico-educacional baseado no tripé Ensino, Pesquisa e Desenvolvimento no setor aeronáutico, para a formação de engenheiros capazes de dar suporte às atividades aeronáuticas no país”, destacou o comandante, que foi homenageado com a moeda comemorativa do cinquentenário durante a solenidade.

Desde sua criação, o DCTA tem coordenado e acompanhado a implantação de vários projetos que contribuíram para o crescimento da Força Aérea Brasileira e do país, com destaque para o fomento à indústria aeronáutica brasileira e o desenvolvimento de pesquisas espaciais.

O Diretor-Geral do DCTA, Tenente-Brigadeiro do Ar Luiz Fernando de Aguiar, destacou em seu discurso os próximos passos da Organização Militar. “Tenho convicção de que nos próximos 50 anos alçaremos voos tão altos e transformadores quanto o país merece e necessita, gerando benefícios à sociedade e aumentando do poder dissuasório da nação, por meio de ciência, tecnologia e inovação”, concluiu.

Ainda durante o evento, foram homenageados os servidores mais antigos, os ex-diretores e ex-comandantes do DCTA. O Tenente-Brigadeiro José Marconi de Almeida Santos, ex-Diretor do DCTA no período de 1997 a 2000, foi um dos agraciados. “Sinto-me honrado em ter contribuído, em minha gestão, para que o DCTA se tornasse esse grande complexo tecnológico”, comentou.

O Suboficial Wanduir José da Silva foi homenageando como o militar que trabalha há mais tempo na Guarnição. Há 23 anos ele atua na Prefeitura de Aeronáutica de São José dos Campos (PA-SJ), unidade subordinada ao DCTA. “Tive a oportunidade de colaborar e de participar de vários momentos marcantes e espero que os próximos anos sejam de muito sucesso”, disse.
 
Selo alusivo ao Cinquentenário

Durante o evento, o DCTA e os Correios lançaram um selo e um carimbo personalizados alusivos ao Cinquentenário da Organização Militar. Todas as correspondências que saírem das unidades subordinadas ao DCTA receberão o carimbo.

DCTA

O Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) é o órgão de direção setorial ao qual compete planejar, gerenciar, realizar e controlar as atividades relacionadas com a ciência, tecnologia e inovação, no âmbito do Comando da Aeronáutica. O DCTA tem sua origem no Comando-Geral de Pesquisa e Desenvolvimento criado em 1969.

Sob sua responsabilidade estão as seguintes Organizações Militares e comissões subordinadas: Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA); Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE); Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI); Instituto de Estudos Avançados (IEAV); Instituto de Pesquisa e Ensaios em Voo (IPEV); Centro de Preparação de Oficiais da Reserva da Aeronáutica de São José dos Campos (CPORAER-SJ); Centro de Lançamento de Alcântara (CLA); Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI); Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC); Comissão de Coordenação e Implantação de Sistemas Espaciais (CCISE); Grupamento de Apoio de São José dos Campos (GAP-SJ); Comissão de Obras do DCTA (CO-DCTA) e a Prefeitura de Aeronáutica de São José dos Campos (PA-SJ).

Assista ao vídeo da solenidade.

 

Fonte: Agência Força Aérea
Fotos: Sargento Roberto

O bom combate encarado por brasileiros e suas máquinas voadoras na Segunda Guerra Mundial; o desenvolvimento de tecnologias que resultaram no lançamento de satélites; a aquisição de novos caças e a modernização de tantas outras aeronaves que elevaram nosso Poder Aéreo. Estes e outros feitos foram alcançados na história da aviação do Brasil, impulsionados pela criação do Ministério da Aeronáutica, em janeiro de 1941.

Há 78 anos, o presidente Getúlio Vargas decidiu pela unificação das aviações naval e militar e da infraestrutura aeronáutica existente até então. O documento que criava a nova pasta também incorporou o Departamento de Aeronáutica Civil (DAC) e o Ministério da Viação e Obras Públicas. Estava estabelecido então, pelo Decreto-Lei 2.961, o Ministério da Aeronáutica e seu braço militar, as Forças Aéreas Nacionais, que passaram a se chamar Força Aérea Brasileira naquele mesmo ano, pelo Decreto-Lei 3.302, de 22 de maio.

O primeiro Ministro da Aeronáutica foi Joaquim Salgado Filho. Seu desafio seria desenvolver a aviação civil, a infraestrutura, a indústria nacional do setor, as escolas de formação e o braço-armado da Aeronáutica, a Força Aérea Brasileira. Começava ali a edificação do poder aéreo brasileiro e todas as transformações que a aviação proporcionou à Nação.

No decorrer dos anos seguintes, a Aeronáutica ampliou sua atuação em áreas como a defesa da soberania do espaço aéreo brasileiro, o controle de tráfego aéreo, o fomento à indústria nacional, as missões de busca e salvamento, o projeto espacial, a ciência e tecnologia, a investigação e prevenção de acidentes aeronáuticos, e a integração nacional, por meio da construção de pistas de pouso e decolagem e dos voos de aeronaves de transporte.

O Correio Aéreo Militar, antes realizado pelo Exército (no interior) e pela Marinha (no litoral), foi transformado no Correio Aéreo Nacional. O Ministério proporcionou, ainda, acordos internacionais na área de transporte aéreo entre o Brasil e diversos países, como França, Estados Unidos, Suécia, Dinamarca, Noruega, Países Baixos, Portugal, Suíça e Grã-Bretanha. Em 1999, o Ministério da Aeronáutica foi transformado em Comando da Aeronáutica.

Confira mais na página especial.

O FABCAST traz, ainda, uma matéria especial sobre a origem do Ministério.

Veja o álbum Exposição Dia da Criação do Ministério da Aeronáutica.

Assista também ao vídeo produzido para homenagear a data.

 

Fonte: Agência Força Aérea

Publicado em: 22/01/2019

Em comemoração ao seu cinquentenário, completado em 14 de março do ano corrente, o Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), preparou um domingo especial para comemorar esta data tão significativa para a história da atividade aeroespacial brasileira.

No último domingo, dia 24 de março, o DCTA realizou uma apresentação musical de sua Banda de Música, para a comunidade da cidade de São José dos Campos, no Parque Vicentina Aranha, em coordenação com a Fundação Cultural Cassiano Ricardo.

A Banda de Música do Departamento fez um Concerto Sinfônico Musical, nas formações de Orquestra Sinfônica e Big Band, com 40 minutos de duração e dividido em três atos, com um repertório que inclui músicas clássicas, temas de filmes, jazz, músicas latinas, populares e pop rock internacional.

A Banda de Música do DCTA foi criada em 24 de fevereiro de 1966, pelo então Ministro da Aeronáutica, Marechal do Ar Eduardo Gomes. Em mais de meio século de história, a Banda além das atividades precípuas da caserna, realiza inúmeras apresentações e concertos para o público interno e externo ao DCTA.

Histórico do DCTA

O Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) tem sua origem no “Comando Geral de Pesquisa e Desenvolvimento”, criado em 14 de março de 1969; tendo as seguintes alterações de denominação até a atual: - “Departamento de Pesquisas e Desenvolvimento (DEPED)”,  “Comando Geral de Tecnologia Aeroespacial (CTA)”, e “Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA)”, em 2009.

Esse Departamento é o órgão de direção setorial da Força Aérea Brasileira, localizado em São José dos Campos, ao qual compete planejar, gerenciar, realizar e controlar as atividades relacionadas com a ciência, tecnologia e inovação, no âmbito do Comando da Aeronáutica.

O DCTA reúne um expressivo contingente de alto nível, na ordem de 5.200 militares e servidores civis, dentre engenheiros, pesquisadores e técnicos nas mais diversas especialidades e áreas, que atuam em projetos de vanguarda e de grande valor estratégico para o país.

 

Fonte: DCTA
Fotos: Sargento Petherson/DCTA

Fim do conteúdo da página